Fim de temporada? Quem que disse? NOVO SETOR!

 

serra-catarinense-ganha-mais-beleza-no-momento-do-nascer-do-sol-1346097763139_615x300

A temporada de escalada pela Serra Geral em SC parece estar bem prolongada este ano. Estamos praticamente em Novembro, quase no verão, e neste exato momento que escrevo este post, os parceiros Geferson Calvette e Filipe Ronchi, estão na serra abrindo mais uma via! O calor na serra não é legal, além do abafo, os bichos saem para passear, tornando perigoso pra nós. Mas a instigação aos novos setores tem nos motivado muito…

Na primeira investida no setor das primeiras vias abertas na Serra do Rio do Rastro a uns meses atrás, junto do escalador Bruno Alves de Garopaba, na ida paramos num mirante que tem logo no inicio da subida da serra, para dar uma curtida no visual. È um mirante de onde você consegue avistar as eólicas no topo da serra. Avistamos uma parede que fica deste outro lado da serra do Rio do Rastro, fiquei da cara com a coloração do arenito, o que indicava ser uma parede muito boa. Saímos para trabalhar no setor e fiquei com essa outra parede na cabeça. O Ronchi disse ter ja avistado ela de longe também, e estava louco pra ir conhecer.

 DSCN0020 DSCN0039

Esse local fica localizado na nascente do rio Tubarão, conhecido como Rio da Rocinha, situado no Blue Canion. Bem logo no inicio da subida da serra vai avistar a esquerda uma igreja, a entrada é uma estrada de chão antes da igreja, passando por uma indústria de carvão, e para você chegar tem de passar por diversas porteiras de terrenos particulares, até chegar em uma que tem cadeado, e pra passar de carro tem de pedir permissão para o sr Poli, dono deste terreno onde fica a porteira chaveada. Aproveito para reforçar o esquema do acesso a este lugar, VOCE DEVE PEDIR PERMISSÃO! Todo o local é terreno particular, incluindo o local onde esta a Pedra Redonda onde é novo setor de escalada. Ligar para o sr Poli no celular  (48) 8473-6801  e dizer que é nosso conhecido, acho que melhora as chances de liberação. Ou, pode deixar o carro nesta porteira e ir pelo rio até a trilha de acesso, o que é pior, ja que da pra ir de carro até mais pra dentro. Passando pela porteira do Poli anda mais 1km mais ou menos e deixa o carro, segue a trilha dor aproximadamente 1hr, isso se tiver com a mochila pesada. O acesso e a trilha são muito bom!

DSCN0036 PA210239 PA210234 (2)

Eu e o Geferson gastamos uns 2 dias para achar e liberar a trilha. A primeira vez começamos a abrir por uma linha imaginária, mas estava um tempo meio quente e abafado, com o mato bem fechado e não rendeu muita coisa. Na segunda tentativa, depois de uma conversa com o irmão do Poli, que disse que os antigos passavam com bois próximo da rocha, aproveitamos e entramos nesta mesma trilha, que para nossa surpresa e alegria passava muito próximo da rocha mesmo. Uma manha com facão e foice na mão nos bastou para reativar essa trilha e abrir mais um pequeno trecho, onde conseguimos encostar na rocha juntos, felizes da vida!

PA210215 PA210216 PA210225DSCN0070 DSCN0074 DSCN0080

Depois disto voltamos mais duas vezes e abrimos quatro vias, destas, uma é esportiva e as outras três estão inacabadas, pois sempre fomos pra escalar e voltar no mesmo dia, não dormimos ainda lá, o que não deu de fazer cume, e essas linhas depois dos 25 metros, ficam mais complexas. O setor tem muitas fendas, toda em arenito sólido. A parede deve ter entorno dos 100m. Sonhávamos com o local a semana toda, era a semana inteira com isso na cabeça, loucos pra voltar. O lugar é lindo demais! A primeira linha foi a via Crazy Diamond (até o momento com 20m VIIb E2?) com um offwith xarope pra caramba no final antes da parada em móvel. Depois saiu a via Galo Véio e Garnisé VIIb/c E1? 25m, via Jamais VIIIa E1? 25m (inacabada com uma parada dupla pra rapel) e a Via Picitacidio VIIa/b? (inacabada também até o momento.)

Realmente estar escalando nestes locais tem sido maravilho! È entusiasmante ficar contemplando tudo aquilo que Deus criou e desfrutar disso.

A temporada acabou? essa não posso te responder…

Forte abraço!

Grillo.

Resultado 3º Festival de Escalada de Laguna

Alucinante, glórias a Deus! Essas são as minhas palavras para descrever o sucesso deste evento! Tivemos presente no evento galera dos 3 estados! Mais de 100 pessoas passaram pelo evento em Laguna. Parabéns ao Sapo e a Su pela organização!

Esta terminando a época do nordestão, mas o abençoado insiste em permanecer. Aqui falamos que não tem vento sul, é o nordeste que faz a curva! (rsrs) Tivemos uns 10 dias seguidos de vento nordeste, e a dois dias do evento vira o vento sul com uma chuva abençoada por Deus para lavar e tirar a baba do vento nordeste da rocha. Confesso que fiquei com a pulga atrás da orelha que ela fosse permanecer, mas graças a Deus não, e foi exatamente isso que aconteceu, a chuva lavou a rocha deixando ela nos trincks para ralar os dedos da galera!

Praia do Gravatá 070Praia do Gravatá 073 DSCN0017DSCN0003 DSCN0036 DSCN0025  DSCN0042 DSCN0044 DSCN0048

Começando de cima no sentido horário: Grillo na segunda repetição do higball Humildade / Que naba pra descer! / Sorriso feliz da vida e dando uma magnada / Geferson Calvette nos boulders do Gi / Mãos detonadas! / Geferson voando e Paulo Bote na seg / Continua projeto… / Eu, Karina Figueiras e Geferson Calvette.

Primeiro dia: chego na pousada as 14hrs e logo já saio com o Eduardo “incansável” Sorriso, para malharmos o projeto do ano passado. Claro que não fiz nem 3 movimentos naquele azulejo, e o Sorriso estava com a gana necessária para tentar, e depois de umas 4 tentativas fez o FA do projeto, que batizamos de boulder Azulejo V8/9. Muita comemoração e filmado o problema, botei pilha de novo no Sorriso pra tentar um higball que eu tinha em mente, que eu havia feito apenas uns 3 metros dele. Um mega bloco de uns 6 metros com boas agarras a partir do terceiro e quarto movimento, sendo o crux a saída chegando até estes movimentos, movimentos todo em regletes em cascas meio soltas, o que torna o boulder meio perigoso, fora os gravatas afiados esperando em caso de queda meio errada fora do colchão. Mas é só deixar o seu “hipopótamo” em casa e escalar com cautela, sem muito movimento brusco que sai. Foi o que eu e o Sorriso fizemos, ele fez a primeira ascenção e eu a segunda, caindo então mais um projeto do setor, HigBall Humildade VIIb/c (Um V2 eu acho, ja que não utilizo os “V” ainda…. prefiro a letra romana).  Enquanto isso, simultaneamente, o restante da galera desgastava a pele nas fendas… A noite, uma baita confraternização na pousada Vila Gravata, local sede do evento. Começou com o Sapo agradecendo a todos os patrocinadores do evento, e depois tive a oportunidade de apresentar o novo setor de escalada da Serra do Rio do Rastro. Finalizando, tivemos a palestra do Daniel Casas sobre profissionalismo no montanhismo, e logo a janta. Todos estavam famintos!

Segundo dia: saio novamente com o Sorriso para a tentativa de derrubar mais um projeto, no setor da praia da Baleia, ou, praia do Gi, na companhia de Paulo Bote e Geferson Calvette, enquanto isso a galera se espalhava novamente entre vários setores da praia do Gravata em boulders e conquista de novas vias, e também pela Taba, na praia da Teresa, um lindo setor de muitas fendas!  Por muito pouco o Sorriso não derruba este projeto, chegou a bater na parte abaloada da virada do domínio, mas caiu. Acredito que ele estava cansado e sem pele ja, por isso não conseguiu a cadena.… Depois o Geferson mandou outros boulders do setor e tocamos novamente para a pousada para bater um rango e pegar uma super palestra com a grande escaladora Karina Figueiras. Foi alucinante! Tivemos a oportunidade de saber de primeira mão, a divulgação da abertura de duas novas vias que ela e o Bito abriram em solitário, onde cada um fez a sua conquista! Presenciamos uma baita história, que marcou não só a história do montanhismo no Brasil, mas como também, um momento histórico na escalada da região. Muitas fotos e muita conversa com a Karina fizeram do evento, um evento de alto nível! Depois da palestra foi o festival indoor de boulders. Haja pele! O route setter Dione Capelari caprichou, e a galera se puxou. O escalador de Caxias Ariel mandou muito e ficou em primeiro, seguido do Sorriso e do Leco.

545414_489486201085503_363911254_n 282279_489486931085430_787497575_n  133960_208054669327365_536083597_o   60680_489487561085367_613551322_n 427878_489487067752083_1956938695_n 522995_489486361085487_1096991934_n DSCN0056 385651_489488194418637_1354312026_n 292733_489485837752206_889695314_n

Começando de cima no sentido horário: Daniel Casas ministrando curso de técnicas verticais em fendas / Escalador se puxando no indoor / Davi Gonzaga nas fendas da Taba / Quarta e Quinta foto, escaladores experimentando as fenda na Taba e setor Escadinha / Galera do Igreja Bola de Neve Sombrio / Karina Figueiras tirando foto com a galera!

Terceiro dia: Saio para fazer mais uns boulders agora com o Dioni, Leco e Thiago Balen com as namoradas e mais uma turma muito maneira. Balen e Dioni foram instigados a repetir o Azulejo, enquanto a Carin Marchiorato destruía os oitavos Jeckyl & Hyde VIIIb, Maranata VIIIa e mais um projeto Vitamina B12 VIIIa??? (é esse grau e esse nome Leco???). O Boulder Azulejo, é muito peculiar, ele só tem agarras abaloadas, e as únicas possíveis agarras, são micro agarras, que nem servem para muita coisa. Em um certo momento, peguei a câmera do Balen e me posicionei para fazer uma seção de fotos para registar os momentos. Por coincidência, peguei toda sequencia do Balen fazendo então a segunda repetição deste forte boulder. A galera curtiu muito e o Thiago saiu com mais um V9 pra casa! Me despeço da galera com enorme alegria e venho pra casa. Foram tres dias muito maneiros na presença de muita gente maneira, com muita atividade física e desgaste da pele dos dedos. E por falar em atividade física, pra finalizar esse relato, quero deixar uma semente para sua vida, uma mensagem que Deus me deu na manha de sábado, enquanto orava e dava uma lida na bíblia, antes de sair pra escalar: 

"Porque a atividade física de pouco tem proveito..."  Deus diz na sua palavra em                1º Timóteo 4.8.
Alguns profissionais da educação física ou atletas que estão lendo isso, devem pensar o contrário, o que até pode ser verdade, mas aqui, a bíblia diz no sentido espiritual! Com certeza faz bem praticar esportes, atividade física, mas de nada ela adianta, se não tivermos uma atividade com o Criador. De nada adianta se amarmos mais a criação do que Criador. Devemos cuidar de nosso corpo? Sim, é claro, pois ele é templo do Espírito Santo de Deus, mas devemos tambem cuidar do espiritual, e entender o que Deus fez na cruz por nós! ”

Forte abraço.

Nando Grillo

426225_412987262090353_206319278_n

Loading...