Mais uma fenda perfeita, mais uma via tradicional clássica

 

Fonte –> http://escaladaserrasc.blogspot.com.br/2012/05/mais-uma-fenda-perfeita-mais-uma-via.html

Texto: Filipe Ronchi

Há duas semanas atrás abrimos a temporada de conquistas no setor da serrinha, voltamos neste fim de semana para continuar a conquista da via Capitão Abelha. Desta vez, depois de muito tempo tentando, consegui apresentar o setor da serrinha para a lenda Geferson Calvette, o mestre dos movimentos delicados ( . )
Saímos de Içara na noite de sexta feira e acordamos sábado no setor da serrinha pronto pra entrar na parede. Depois de tomar um mate e quando o sol esquentou, Gé assumiu a ponta da corda iniciando a 1ª enfiada do trecho já aberto da via, mesmo com a corda fixa o Gé preferiu guiar a via e aproveitar a linda fenda. Enquanto isso eu comecei a ascender pela corda fixa e aproveitei pra registrar as imagens.

                Geferson iniciando a 2ª cordada

A segunda cordada foi iniciada pelo Nando com a metranca na mão, conseguiu progredir rápido um bom trecho em regletes com movimentos bem técnicos. Colocou 5 pinos e desceu pro Gé assumir a ponta da corda e passar um trecho bem interessante. Depois de um perrengue serrano, em que o Gé esticou 5m de corda num trecho vertical onde não tinha como colocar cliff, ele conseguiu parar e fazer o furo pra bater a parada. Ficou um belo esticão em um trecho com muitas agarras abauladas. Ainda se não bastasse o esticão obrigatório, a bateria da furadeira acabou e o geito foi fazer o furo com a broca na mão.

Nando iniciando a 3ª cordada

Passando trabalho na seg.



Nando esperimentando a via avalanche

via avalanche

Novas conquistas na Serrinha

 

Texto e fonte: Filipe Ronchi

http://escaladaserrasc.blogspot.com.br/2012/05/novas-conquistas-na-serrinha.html

Enfim depois de mais de um ano conseguimos continuar umas das vias mais bonitas do setor da Serrinha. A via Falconídeo foi a segunda via iniciada no setor e parou com 23m, antes de iniciar um diedro lindo, o problema deste diedro é q só entra peças móvel acima das equivalentes ao camalot #5 e #6, e o outro problema é que  eu não tinha técnica de off-width suficiente pra escalar ele. Quero mandar um abraço especial aos parceiros de empreitado Nando e Davi. As fotos foram registradas com um celular pois ninguém tinha um câmera, que coisa não?

Falconídeo V 6º A2 E2 55m toda em móvel.

Davi mandando a 1ª enfiada da via, entrando no chaminé.

A via ficou muito linda, um bom trecho em livre, não sei a graduação por ser complicado graduar off-width, depois passa por chaminé negativo que foi mandado em artificial um A2, mais um trecho em livre e chega num teto que fizemos uma travessia de uns 6m em movimentos em torno de 6º muito lindo. 

Iniciando a 2ª enfiada. Bons entalamentos de joelho podendo soltar as mãos.

Nando e Davi na 1ª parada 

iniciando o trecho em artificial.

Eu e Davi na P2 opcional, o correto é tocar direto até a parada que ficou no final do teto.

Nando experimentando a via

Davi conhecendo a escalada na serra

Batendo a parada

No dia seguinte iniciamos uma outra linha, fica ao lado do acampamento, uma fenda muito interessante que fez deixar pra abrir só agora por pensar que seria muito trecho em artificial, e por surpresa minha ela foi mandada toda em livre, fora o trecho onde começa um trepa mato que se afastamos da fenda e fizemos 2 passagens em artificial mas que provavelmente pode ser mandado em livre. Não temos fotos desta via. Por enquanto a via está com 45m VI 7a A1 toda em móvel.

Loading...